quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Do meu sumário de incertezas


FRAGMENTOS APÓCRIFOS


7

Filho de Marte, Vulcano, despejo
lavas – por isso não te trouxe
flores.

6

Heróis vencidos, finda a batalha:
repasto de pássaros.

5

Adormecidos, lilases, a aurora boreal
vem nos acordar.

4

O pai dividiu seu último cálice
e, agonizante, partiu.
Na longa estrada solitária,
sua voz alguém ouviu?

3

Oh, os bafejos da sorte!
Oh, os motejos da morte!
Oh, a estrela do Norte!
Quem me guiará ainda?

2

A amplidão do mar ou uma
casca de noz são o mesmo
para o que nunca se move.

1

Tateando o tempo o fruto
descobriu o solo.

3 comentários:

rita.medusa insana disse...

"Filho de Marte, Vulcano, despejo
lavas – por isso não te trouxe
flores."

despejado,banhado com lavas.......talvez não tenha percebido flores invisiveis nas tuas mãos ou bouquets de agulhas com gazes para ferir e curar os que se encontram na mesma condição que a tua
intensidade meu caro.......toda estas incertezas
belas
tortas
tontas

rita medusa insana disse...

5

"Adormecidos, lilases, a aurora boreal
vem nos acordar."

Já que estamos lilases
e isso é raro
ja que estamos adormecidos, juntos
e isso é bonito
pede pra aurora
pra deixar a gente dormir mais um pouquinho

ficou lindo!!!

Lauro disse...

Obrigado rita medusa insana. Eu só gostaria de escrever pensos. Curativos-agulhas. Viva a dubiedade! Abraços e obrigado pelos comentários.