quarta-feira, 16 de julho de 2008

Da criação


Diário de Balada para um Morto
(livro poético)


Com observações pós-finalizado.

Lembrar-se:
1. São as palavras que importam, não a expressão do Eu individual.
2. A pesquisa das palavras é o mais importante.
3. Ler poesia sempre. Principalmente aqueles que faltam ler ou ler mais Eliot, Artaud, etc. (Por que Eliot, Artaud? Ler mais "o que interessa". Guimarães Rosa)
4. Artigos científicos também ajudam. "a raridade dos raios ao pé dos Andes" é uma boa frase. Próximo poema: Relâmpago.

XI-RARO


Pesada a fronte
Como por um raio
Iluminada a noite

...............................RARO.

Ao pé do monte.

5. Por que importa a natureza? Os quatro elementos. Não perder de vista isso.
6.*Manter o Eu sempre em suspenso. Entre aspas. Ou em itálico.
*Este item foi revogado. O eu transborda.
7. **Narrar, abusar da terceira pessoa.
** Tem a ver com o item anterior. Fazia parte do projeto essa idéia de "obliteração" do eu. Nada disso é universal, nem muito rígido. Comecei a elaborar essa lista quando já ia longe no livro. Serviu durante algum tempo para mim. Acho importante ter um norte em que se apoiar quando se escreve algo mais demorado.
8. Quebrar frases. Expulsar o óbvio, o que rima fácil.
9. Não tentar ser lógico.
10. Contar uma história como se não tivesse entendido tudo (Borges).

2 comentários:

Rosilene Fontes disse...

Lauro,
lemos na oficina de literatura estes 10 itens "Da criação" e estávamos cientes que eram "Anotações para dar continuidade à Balada para um Morto" -seu livro poético. Na literatura nada é rígido, mas foi interessante debater cada ítem e ver como cada um deles era importante para criaçao literária. Somente o 7 (como voce mesmo confirma) achamos que era pessoal. Foi uma conversa muito rica, estimulante e só acrescentou para nós pequenos iniciantes escritores. Levei para aula porque aprendo muito no seu blog e queria expandir bons conhecimentos. Seu blog é minha oficina literária pela internet. Se você peca escrevendo para o público... sou também uma pecadora passando para frente.
abraços

Lauro disse...

Rosilene, foi o comentário mais elogioso que já recebi. Obrigado! Abração