domingo, 19 de dezembro de 2010

Dois poemas de Juan Gelman



Freira no ônibus – Juan Gelman

[Tradução Lauro Marques]



Entre homens e pacotes, diários envelhecidos,

caras secas, suores, bocas rancorosas,

envolta no silêncio de seu capuz pálido

a noiva de deus viaja com Cristo

sobre peitos que deram de comer a ninguém.



O ladrão – Juan Gelman

[Tradução Lauro Marques]



Na noite silenciosa e escura,

fugindo de toda presença humana ou animal,

evitando os ruídos, furtivamente rouba

fogo das palavras e palavras do fogo

para si, para todos, para o amor que não conhecerá

algum dia

e a cinza fria castiga suas mãos.

Um comentário:

Sra. Ramsay disse...

Excelente o post, o poeta, o blogue, tudo. O final do primeiro é uma imagem cruel e arrebatadora. Obrigada!