segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Duas visões




















Profeta Daniel, de Aleijadinho, em pedra sabão e Liteira "serpentina" de arruar, século XVIII.

6 comentários:

rosilene fontes disse...

Lauro,
li uma vez uma definição exata do que é a religiosidade em Minas e posso te garantir que é assim mesmo: "em minas a religião é mais do povo que das elites. O mineiro tem uma religiosidade incompleta, displicente, ele é um pecador devoto, respeitoso em relação às coisas de Deus, tantas vezes generoso em esmolas e dedicaçoes, mas também relapso, misturando nela credulidade e ceticismo, o mineiro é um fiel que ainda não definiu sua maneira peculiar de adorar a Deus"

Lauro disse...

Sim, eu estava para complementar a nota com a informação desse tipo, a religiosidade está entranhada no povo de uma forma bem peculiar, que eu ainda não saberia descrever... existe um sentido de comunidade forte, pelo pouco que pude constatar, de solidariedade, o lado positivo, por outro lado há uma subjugação e um acomodamento relaxado, fruto dessa mesma religiosidade inculcada. Boa definição, de quem é?

rosilene fontes disse...

o livro eu ganhei, "Minas, os mineiros e seus mineirismos" o autor é Péricles Capanema Ferreira e Melo (ele é mineiro de Pará de Minas é escritor e dá aula de gramática portuguesa para o meu chefe)- ed. Artpress. Gostei muito do livro.

Anonimous User disse...

Lauro,
Nós estamos acompanhando sua jornada e vamos lançar a campanha Volta Lauro aqui na Assessoria

Até mais

Anonimous User disse...

Ass. Thiago

Lauro disse...

Mais uma boa dica, Rosilene. Obrigado. Mineirismo é um ótimo neologismo. Valeu Thiago, ótima campanha! Eu apóio (sem acento ou com acento, e agora?).