domingo, 26 de junho de 2011

Ungaretti

UNGARETTI


Ser como
Ungaretti,
dizer coisas,
breve

e pleno de amor,
em uma
trincheira de
neve.


Lauro Marques





UNGARETTI

Essere come
Ungaretti,
dire le cose,
breve

e pieno d'amore,
in una
trincea di
neve.


Lauro Marques
(tradução do autor)

* * *




 VEGLIA
( cima 4 del 23 dicembre 1915 )

 Un’intera nottata
 buttato vicino
 ad un compagno
 massacrato
 con la sua bocca
 digrignata
 volta al plenilunio
 con la gestione
 delle sue mani
 penetra
 nel mio silenzio
 ho scritto
 lettere piene d’amore


 Non sono mai stato
 tanto
 attaccato alla vita


- Giuseppe Ungaretti

VIGÍLIA                                                                                       



     Uma noite inteira

     atirado ao lado

     de um camarada

     massacrado

     com a sua boca

     desgrenhada

     voltada à lua cheia

     com a congestão

     das suas mãos

     penetrada

     no meu silêncio

     escrevi 

     cartas plenas de amor
    


     Nunca me senti

     tão 

     preso à vida.



Tradução Jorge de Sena

3 comentários:

Mar Becker disse...

Lauro, belo poema; que vírgula bem colocada: "dizer coisas, / breve...".
Gostei, beijo,
Mar

Lauro Marques disse...

É um poema que elaborei, apesar de simples, pensando nas pausas, breves,que fizessem jus à poesia e à métrica, de Ungaretti (tem um alexandrino aí pelo meio). Fico feliz que tenha notado isso e gostado do poema, Mar!

Marceli Andresa Becker disse...

Pois saltou aos meus olhos, é lindo.