quinta-feira, 15 de setembro de 2005

Nietz., Severino, Pragmatismo e o complexo de culpa cristão

Nietz. dizia que o "último cristão morreu na cruz". Sim, e ao meu ver, em vão.
Só não concedo a tese de que Severino é bode expiatório, nem Cristo.
Uma teoria que levasse em conta os atos, e as consequências dos atos (sem culpa, é possível? Por que isso ainda me parece terrivelmente cristão?), ao meu ver seria um substituto melhor.
Borges, esse pragmatista, escreveu que "todo ato projeta uma sombra no futuro", isto é a soma do que somos. E somos o próprio argumento de nós mesmos. Assim como a nona sinfonia, com todos os seus movimentos.
Veja aqui o cheque que compromete o Severino e analise

Um comentário:

Niko disse...

Obrigado pelas tuas palavras simpáticas e pelo endereço. Um xi-coração!
Niko