terça-feira, 2 de agosto de 2011

Esboços * borrões 9

Stormy céu por Laurie Williams



Noite nublada,
estrelas giram em carrossel de nuvens




Então não havia fogo ainda, frio 
Olhos rasgados que não veem nada
 Um silêncio suntuoso, sólido, esculpido em rocha
Nenhum sopro no despertar da aurora 
Aturdido em meio às estrelas 
Sombra ladeando o sol
Ares de incêndio brusco 
Flutuações do delírio


3 comentários:

Lara Amaral disse...

Lindo isso! Cada sentido é aflorado no poema por um diferente calafrio, só pelas imagens da natureza.

Lauro Marques disse...

Sim, é exatamente esse o sentido. Obrigado, Lara!

Lauro Marques disse...

Definiu bem o que busco na série toda, de "imagens semiconscientes" provocadas por esse calafrio.