sexta-feira, 6 de janeiro de 2006

Enfim, uma doçura, neste meu "diário". Encontro, sem que estivesse procurando por isso, um site da cidade dos meus avós e onde foi criado meu pai, as fotos que me trouxeram de volta à meninice.

Há uma expressão popular, de quando as coisas estão ruins, dizer-se que "a vaca foi para o brejo". Porém, lembro de um congresso de semiótica, que participei em 1994, na minha terra natal, Campina Grande, não muito longe de Bananeiras. Ali me foi ensinado, por certo professor, cujo nome infelizmente não me recordo agora, durante um curso sobre "linguagem figurada", que o dito viria do fato de nos períodos de grande estiagem e seca, o animal ser levado para o brejo. A interpretação, se não estiver correta (leia-se a respeito o comentário de Soares Feitosa), pareceu-me coerente. Nesses locais, o clima se mantém ameno a maior parte do ano, a vegetação permanece verde. É possível, então, ao gado ir lá para poder ainda se alimentar. Esses pequenos oásis, no sertão da Paraíba, foram para mim a parte mais feliz da minha infância. E me pergunto se, por acaso, quando algo me falta, não é lá que vou eu também buscar forças.

Bananeiras, Paraíba, vista do do alto da serra, de onde se observa o vale em que se esconde.
centro da cidade, tendo ao fundo o Colégio Sagrado Coração de Jesus, colégio de freiras onde residem atualmente as Carmelitas Descalças.

2 comentários:

Soares Feitosa disse...

Apois teu distinto professor está errado. Está certo também, explico-te eu,
dois pontos:
Brejo, lugar molhado, insalubre, aquela pasta de terras-águas, para onde a
vaca de Lulla-Lullinha há de ir, fodida, a bichinha, bem fodidinha. Este é o
sentido geral, maligno, de uso corrente em todo o Brasil, exceto na PB e em
PE.

Brejo, lugar abrejado, molhado, fresco, fértil, salubre, cheio de verdes,
uma certa Bananeiras (Anel do Brejo), justamente aquele círculo mágico,
PeBeano de suas saudades. Sim, as vacas magras vão para lá, de melhoria.

E o abraço do SF

Lauro disse...

Mestre Francisco, sim, apois.

Também eu fui ao Houais (abaixo). Estava certo e errado. Lá ele estava certo.
Anel do brejo, círculo mágico, umas belas palavras essas que me envia ("vai para o blog").

abraços :>)
n substantivo masculino
1 terreno alagadiço, lodoso; pântano, paul
1.1 Regionalismo: Nordeste do Brasil.
terreno plano, de extensão mais ou menos considerável, alagadiço ou apaulado, que ocorre nas cabeceiras ou em áreas de transbordamento de rios
1.2 terreno baixo, plano ou pouco acidentado, situado entre colinas, bem irrigado e fértil
1.3 Regionalismo: Maranhão.
terreno baixo onde há nascentes
2 Derivação: por metáfora (da acp. 1).
lugar impuro
3 Rubrica: geografia. Regionalismo: Paraíba.
zona serrana do Estado da Paraíba
Obs.: inicial maiúsc.
4 Regionalismo: Bahia.
arrozal
5 Regionalismo: Portugal.
terreno agreste onde medram urzes; urzedo
6 Derivação: por extensão de sentido.
lugar úmido e frio
7 Derivação: por metonímia. Regionalismo: Portugal. Uso: informal.
frio